Nada melhor do que reunir os amigos para curtir um belo churrasco e ainda combinar tudo isso com um bom vinho. Mas, vinhos e churrasco combinam?

Confira algumas dicas para não errar e deixar todos muito bem servidos no seu próximo final de semana…

Vinho ou cerveja?

Ambas podem ser muito bem apreciadas em um dia de churrasco, porém cada uma delas oferece uma experiência completamente diferente da outra, principalmente no paladar. Ambas tem características bem específicas e que podem mudar completamente o sabor de uma carne.

Você ainda não sabe como escolher o vinho certo ou como harmonizar com aquele seu prato preferido? Então <clique aqui> que eu quero te contar algo que pode ajudar a você passar para o próximo nível no mundo dos vinhos!

Dito isso, o vinho pode ser perfeito para acompanhar seu churrasco de final de semana. Isso acontece por causa da chamada adstringência, uma propriedade do vinho capaz de “cortar” a gordura de carnes como linguiça, cupim e picanha.

Justamente por esse motivo, vinhos mais encorpados são recomendados para o churrasco. Lembre-se sempre de uma regra básica de harmonização para todos os casos: prato leve pede vinho leve e pratos fortes pedem vinhos encorpados.

Existe ainda outro segredo bem importante nessa combinação: o paladar frutado do vinho e o sabor salgado da carne se equilibram perfeitamente. Veja mais alguns:

E os espumantes?

A cerveja é a escolha padrão para o churrasco porque age como um limpador do palato. No entanto, você não precisa se manter restrito a ela. Bebidas como os espumantes secos, conhecidos como brut também “cortam” a gordura e preparam o seu paladar com acidez e refrescância para a próxima carne.

Devo gelar o vinho?

Aqui no Brasil, é praticamente impossível tomar vinho em temperatura ambiente, como se faz na Europa, principalmente se estivermos no verão. Portanto, não pense duas vezes antes de colocar as garrafas de vinho para dar uma leve refrescada.

Alguns apreciadores mais conservadores podem acreditar que isso é um sacrilégio, mas ninguém pode negar que funciona perfeitamente no contexto dessa ocasião. Mesmo porque os tintos devem ser bebidos, geralmente, em temperaturas entre 14º e 18º.

Lembre-se: vinhos que estão muito quentes ou muito gelados não estarão nas melhores condições para apresentar suas características como devem ser apreciadas. O ideal é degustar na temperatura ideal respeitando o tipo do vinho.

Como harmonizar com cada tipo de carne?

Vinhos do chamado Mundo Novo — América Latina, Califórnia, África do Sul e Austrália — são, geralmente, ótimas pedidas para o seu churrasco. Claro que alguns vinhos vão ficar ainda melhor com determinados tipos de carnes e preparações, mas não tenha medo de inovar nas combinações.

Se você quer dominar a churrasqueira, da brasa aos principais corte para fazer o seu churrasco um sucesso, indico o curso online MESTRE DO CHURRASCO. Para conhecer mais sobre ele <clique aqui>.

1PICANHA

Macia e suculenta, geralmente com uma bela capa de gordura, a picanha é um corte nobre, que merece um vinho à altura para acompanhá-la. Prefira um vinho tinto feito com uvas Malbec, com taninos firmes e boa acidez.

2FRALDINHA

Fibrosa e macia, mas com um pouco menos de gordura, são carnes que não exigem vinhos muito encorpados. Nesse caso, os rótulos elaborados com as uvas Merlot vão casar perfeitamente e acompanhá-las de uma maneira incrível: redonda, macia e fácil de beber.

3MAMINHA

Da mesma forma da Fraldinha, a maminha é mais fibrosa e macia, mas com um pouco menos de gordura. Nesse caso, os rótulos elaborados com as uvas Merlot vão casar perfeitamente e acompanhar muito bem.

4CUPIM

Com certeza, uma carne saborosíssima e marmorizada ao extremo, com bastante gordura e maciez. Pode ser considerada uma carne suculenta e, por isso, um Espumante Nature é a pedida ideal para ajudar em sua degustação. A acidez elevada vai ajudar a equilibrar a untuosidade da carne.

5COSTELA

Gordurosa, macia e que, quando feita da maneira ideal, derrete na boca. A costela bovina harmoniza com um vinho de corpo médio, com notas de especiarias, como os feitos com a uva Syrah. Até mesmo quando feita no estilo americano, com molho barbecue, por exemplo, a costela desce macia com um bom rótulo desse tipo.

6CONTRAFILÉ

Ponta, bife de chorizo, bife ancho ou chuleta são cortes do contrafilé e, apesar de apresentarem características específicas, têm em comum a fibrosidade e a suculência. Todos são perfeitos para acompanhar um belo vinho elaborado com a casta Cabernet Franc, também com equilibrado teor de taninos e boa acidez.

7CARNES DE CAÇA

Carnes peculiares, como ovelha, coelho e javali, geralmente tem o seu sabor complementado por temperos e especiarias. O gosto intenso destas carnes exige mais atenção na hora da escolha do vinho. O ideal são vinhos complexos e maduros tais como os Brunellos di Montalcino.

8COSTELA SUÍNA

Geralmente servida mais temperada com especiarias, a costela suína acompanha sempre um tinto com corpo médio, boa acidez e notas de pimentas e especiarias. Um vinho aconselhado, neste caso, é um tinto espanhol, como os que são feitos na região de Ribera del Duero.

9LINGUIÇA

Muito sabor, certa gordura e suculência marcam essa carne, quando feita no ponto correto. A linguiça vai bem com um Espumante Rosé Brut.

10FRANGO

Carne branca com a gordura da pele pede vinho aromático e com acidez equilibrada como os Sauvignon Blanc. Para acompanhar uma das preferências do churrasco brasileiro, o coração de frango, a dica é harmonizar com Pinot Noir.

DEIXE UM COMENTÁRIO